(Ex)ecution(English version)

I want to murder you
Break your bones one by one
See your blood gush
The desperation in your eyes settle

I shared with you everything that had in me
And in one beautiful day you decidethat you don’t want me anymore, and move on
But not without hurt me first
The first skirt tail appeared
And in it you dove
Worth it?

Airless slowly I understood
You had betrayed me and forgotten
And for a moment I died
Gradually I break the coffin in which you threw me
In my hands I grab your neck
And break it, looking at your face
I throw it in the ditch you dedicated to me
Dead
I risk a match and watch it all catch fire
Flames consume your body
There will be no peace as long as your ghost exists

My weapons are running away or resist
Yours hurt or kill
I surrender to the fight
I know at the end of it
You will definitely be exorcised
Finally, and forever

Flowers of winter/Tales of lies(English version)

The winter flowers once again bloom
To form the already well-known landscape
This one that is not devoid of beauty

After several seasons here I am
Remembering what should have been forgotten
We haven’t spoken to several moons
The same sky we share
Do you think of me when you contemplate it?

My heart insists on not understanding that what I love about you is just a mirage
That my eyes produced after years in the desert
Not without water, but without love

I can’t blame you for this illusion
It would tear me into infinite pieces if I knew that this way you would become what I created in my mind.

I don’t know if I should regret crossing your path
Or if I should rejoice for every kiss we gave
Much less know if someday I’ll get over this lie-based fairy tale

All I know is that your memory still remains.

Morando nos meus sonhos

Lindas poesias,que tocam no fundo da alma

Poemas em Preto e Branco

Entre nós: papel, caneta, versos e vida – 150/150
Deixe a música tocando para que a experiência seja ainda mais interessante

Mudou a minha vida e mais
Pedi ao vento pra trazer você aqui
Morando nos meus sonhos e na minha memória
Pedi ao vento pra trazer você pra mim

c00dd5de56191bf7b53cefcf8fec764d

Um sonho não pode ser compartilhado, quando a distância se faz presente.

Se hoje eu sofro, foi por minha culpa apenas…

Pelos erros que cometi e por achar que poderia ser perdoado, quando me humilhei e reconheci cada erro cometido.

Por acreditar que quando alguém diz que te perdoa, ela realmente perdoa.

Talvez eu sofra por eu não acreditar que uma pessoa possa ter desejo por mim, sem querer que eu faça parte da vida dela.

Meus versos tristes, são verdades incontestáveis…

Hoje tenho medo de amar… tenho medo de machucar e de me machucar…

Então é melhor seguir sozinho, em meio…

Ver o post original 491 mais palavras

Perfect Storm(English version)

Let me fly
Let me be a leaf on the wind
Without no place to land
Flying,flying,flying

In or outside of the cyclone
Whatever
The atraction is irresistible
I always back there
In or out

Let me lay on your lap
Be my shelter on this so rage storm
People more clever than me call of storm
It’s that how it’s suposed to be?

Dance with me inside the cyclone
While the leafs cut our skin
But we are dumbass optimists
We’ll keep smiling
We’ll even thank for the cuts
Because the legend says that whats doesn’t kill you
makes you stronger

Maybe you,not me
I became a storm
Each time more loaded of rain e lightning
But in who should I rain?
Where should I discharg?

Perfect storm

Me deixe voar
Me deixe ser uma folha ao vento,
sem lugar para pousar
Voando,voando e voando

Dentro ou fora do ciclone
Tanto faz
A atração é irresistível
Sempre volto lá
Dentro e fora

Deixe-me deitar em seu colo
Seja meu abrigo nessa tempestade tão raivosa
Pessoas mais inteligentes do que eu a chamam de vida
É assim que deveria ser?

Dance comigo dentro do ciclone
Enquanto as folhas cortam nossa pele
Mas somos otimistas imbecis
Continuaremos sorrindo
Até agradeceremos pelo corte
Pois reza a lenda que o que não te mata,
te deixa mais forte

Talvez você,não eu
Me tornei uma tempestade
Cada vez mais carregada de chuva e raios
Mas quem devo chover?
Onde devo descarregar?

Conexão

Num sonho vi teu rosto

Teu abraço tão terno e gostoso

Não queria jamais partir

Mas eu acordei

Nunca senti

Uma conexão tão forte

És um irmão ou uma salvação?

Venha me salvar

Do mal que eu mesma criei

Como se supera algo que nunca existiu?

Por favor,volte e mostre que é real

Desejo trancado

De você eu quero tudo
Cada gemido
Cada suspiro
Cada grito abafado pelo travesseiro

Não vou falar
Não vou dizer nem contar
Seus segredos e essa paixão ficarão seguros comigo
Nem se quisesse poderia expô-los ao mundo
Confiaste tuas palavras a mim
E teu coração pertence a outro

Não jogarei lenha nessa fogueira
Perderei o controle se ela aumentar
E eu não serei dominada por algo tão abstrato
A experiência passada já foi o suficiente

Teu sorriso bobo
Tuas piadas tolas
E no entanto tão experiente
Não posso ir adiante

Vou te proteger escondendo meus próprios desejos

Flores de inverno / Contos de mentira

As flores de inverno mais uma vez florescem
Para formar a já tão conhecida paisagem
Esta que não é desprovida de beleza

Após várias estações aqui estou
A relembrar o que deveria ter sido esquecido
A várias luas não nos falamos
O mesmo céu compartilhamos
Você pensa em mim quando o contempla?

Meu coração insiste em não entender que o que eu amo em você é apenas uma miragem
Que meus olhos produziram após anos no deserto
Não sem água,mas sem amor

Não posso culpar-te por essa ilusão
Rasgar-me-ia em infinitos pedaços se eu soubesse que assim tu te transformarias no que criei em minha mente

Não sei se devo lamentar por ter cruzado teu caminho
Ou se devo me alegrar por cada beijo que demos
E muito menos sei se um dia irei superar esse conto de fadas baseado na mentira

Só o que sei, é que tua lembrança ainda permanece

(Ex)ecução

Eu quero te assassinar
Quebrar seus ossos, um por um
Ver seu sangue jorrar
O desespero em seus olhos se instalar

Compartilhei contigo tudo o que havia de mim
E num belo dia você decide que não me quer mais ,e segue em frente
Mas não sem antes me machucar
O primeiro rabo de saia apareceu
E nele você mergulhou
Valeu a pena?

Sem ar aos poucos compreendi
Você havia me traído e esquecido
E por um momento eu morri
Aos poucos quebro o caixão no qual me jogou
Em minhas mãos agarro seu pescoço
E o quebro, olhando para seu rosto
Jogo-o na vala que dedicou a mim
Morto
Risco um fósforo e observo tudo pegar fogo
As labaredas consomem teu corpo
Não haverá paz enquanto teu fantasma existir

Minhas armas são fugir ou resistir
Às suas machucar ou matar
Entrego-me a luta
Sei que no fim dela
Você será definitivamente exorcizado
Finalmente, e para sempre

(Ex)orcismo

Eu vou exorcizar o seu fantasma
Até que o último gemido se vá
Enterrarei suas memórias a sete palmos
Para nunca mais lembrar

Queimarei a estaca que enfiou em minha alma
Nenhum controle mais terá
Não pensou duas vezes
Foi lá e fez
A linha que traçamos não foi clara o suficiente?

Você não vai parar
Uma após a outra
Pausa apenas para falsamente lamentar
Ironicamente eu rezo
Para que nem deus possa te salvar
E que no inferno você queime
Junto com os demônios que passou a adorar

Quem olha não vê
O fantasma que é você
Criado pela imprudência
Castigado (e com razão ) pela ausência
Traumatizado pela impotência
Transformou -se então
No homem que so diz mentiras

Apunhala pelas costas
Pois coragem lhe falta para fazê-lo pela frente
Cada vez que o “não ” se apresenta, chora e berra
Como a criança que é
Inútil, como sempre foi e sempre será

Não conheço todas as faces da justiça
Mas no seu caso, espero que logo ela apareça
É determine sua sentença
Mas caso até mesmo ela te esqueça
Espero que no fim de sua vida
Você morra e torne -se adubo
Provando que tem ao menos uma serventia